Login:   Senha:     
Blog MANM
Quais são os limites da emissão da palavra para um bom comunicador? “Corta pra mim?

Mãe de repórter passa mal ao ver bronca de Marcelo Rezende Por MÁRCIA PEREIRA, em 19/11/2013 • Atualizado às 06h30 Fonte: http://noticiasdatv.uol.com.br/noticia/televisao/mae-de-reporter-passa-mal-ao-ver-bronca-de-marcelo-rezende-1180

Uma repórter do Cidade Alerta, da Record, foi vítima da exaltação de Marcelo Rezende, que questionou seu trabalho ao vivo e em rede nacional. Fernanda Burger entrevistava o pai de uma garota, que foi estuprada às vésperas de seu aniversário, e cometeu a gafe de dizer que “eles não teriam o que comemorar” naquela data.
A frase inconveniente gerou uma bronca do apresentador durante quase 20 minutos na atração. A mistura de pito com chacota em rede nacional abalou a mãe da jornalista. Em casa, a mãe não suportou e passou mal. Foi parar em um hospital.”
Precisamos ponderar sobre esses fatos, especialmente, quando se adquire patamar tão importante, na vida.
Definitivamente, o bom-senso costuma falhar, justamente quando as pessoas sentem que estão no poder da comunicação. Vale lembrar que são necessários longos anos para construir a fama e alguns minutos para destruí-la. A comunicação deve ser ponte e estabelecer-se como ligação para o receptor. Por outro lado, a solidariedade deve ser sempre lembrada , quando se quer dizer algo a alguém.


Para colocar a ideia em prática, é oportuno filtrar as informações, com auxílio do conceito atribuído a Sócrates – filósofo ateniense que, conta-se, pautava a vida dele sobre três pilares, supostamente transformados em “peneiras”:



Dessa forma, é importante acostumar-se com as boas perguntas, dirigidas a si mesmo, antes de disparar palavras que, dificilmente, poderão ser recuperadas.



Por fim, há outras ponderações, pois estamos diante de um cenário em que todos podem se comunicar, e os mais experientes precisam auxiliar no crescimento da equipe. Isso, porque, especialmente, no Brasil, temos uma missão a cumprir, nesse quesito tão importante que é a comunicação.

Bom para lembrar-se sempre:

a. elogios podem ser espalhados aos ventos. Essa atitude altruísta fala bem de você e ajuda na construção do próximo;
b. queixas, reclamações, chamados de atenção devem ser direcionados ao interessado, em local protegido, para evitar exposição desnecessária do outro. Constrangimentos podem ser considerados assédio moral, ainda mais quando gravados ou com testemunhas;
c. foco no fato, jamais nas pessoas. Seja duro com os fatos, suave com as pessoas;

Por fim: “Pessoas inteligentes falam sobre idéias; pessoas comuns falam sobre coisas; pessoas mesquinhas falam sobre pessoas.

 Irma Ugarelli Manfrenotti

Postado por Admin artigos, irma

Deixe seu comentário